Imagens Católicas: o que é permitido?

A grande controvérsia, em se tratando da elaboração de imagens sacras, ocorre quando se lê as claras instruções descritas em Êxodo 20, 4:

“Não farás para ti escultura, nem figura alguma do que está em cima, nos céus, ou embaixo, sobre a terra, ou nas águas, debaixo da terra.”

Olhando tal versículo isoladamente, e fazendo um juízo pessoal, sem a luz do Sagrado Magistério, pode-se constatar, portanto, que seria realmente errado criar imagens, e nesse caso, a Igreja Católica estaria cometendo sérios erros há quase dois mil anos.

Acontece que a Sagrada Tradição, em comunhão com o Sagrado Magistério, nos explicitam a real essência das instruções, não só dessa, mas de outras passagens que condenam a confecção de imagens, como por exemplo:

  • Levítico 26, 1:

“Não fareis ídolos. Não levantareis estátuas nem estelas, e não poreis em vossa terra pedra alguma adornada de figuras, para vos prostrardes diante dela, porque eu sou o Senhor, vosso Deus.”

  • Deuteronômio 7, 25:

“Queimareis as imagens esculpidas de seus deuses, mas não cobiçareis a prata nem o ouro de que são
revestidas, nem delas tomareis nada, para que isso não te seja um laço, pois são uma abominação para o
Senhor.”

  • Salmo 97, 7:

“São confundidos os que adoram estátuas e se gloriam em seus ídolos; pois os deuses se prostram diante do Senhor.”

Como qualquer pessoa pode notar por si, a Lei inspirada por Deus restringe-se à confecção de imagens voltadas para idolatria, ou seja, falsos ídolos e deuses, e sua adoração infiel que magoa o Todo-Poderoso, uma vez que à Ele devem ser dados todos os louvores e adorações.

Deus enviou tais palavras para educar um povo embrutecido, pouco erudito, em formação, que trazia remanescentes da cultura egípcia, onde tinham sido escravos e o episódio que mais deixa claro essa necessidade de explicitar tais ordens de discernimento entre idolatria e veneração se deu quando os israelitas, receosos pela demora de Moisés no Monte Sinai, tiraram suas jóias e brincos de ouro e deram à Aarão, que os fundiu e moldou um Bezerro, que passaram a idolatrar erroneamente, o que provocou a ira do Senhor quando viu tal evento. Para estudar melhor tal episódio, a fim de descobrir a essência daquele povo pecador, leia Êxodo 32.

Nesse sentido, é errôneo pensar que os católicos adoram imagens, pois nossa atitude é de veneração, ou seja, reconhecimento de exemplos, respeito, e não idolatria. E apenas para elucidar nosso raciocínio, saibam que o próprio Deus autorizou a confecção de imagens em casos específicos onde as mesmas não questionavam sua Onipotência, como nos casos descritos abaixo:

  • Êxodo 25, 17-22:

“Farás também uma tampa de ouro puro, cujo comprimento será de dois côvados e meio, e a largura de um côvado e meio. Farás dois querubins de ouro; e os farás de ouro batido, nas duas extremidades da tampa, um de um lado e outro de outro,fixando-os de modo a formar uma só peça com as extremidades da tampa. Terão esses querubins suas asas estendidas para o alto, e protegerão com elas a tampa, sobre a qual terão a face inclinada. Colocarás a tampa sobre a arca e porás dentro da arca o testemunho que eu te der.”

Sacerdote levita queimando incenso junto à Arca da Aliança, compondo um rito contemplativo de adoração.

Sacerdote levita queimando incenso junto à Arca da Aliança, compondo um rito contemplativo de adoração.

  • Êxodo 37, 7-9:

“Fez dois querubins de ouro, feitos de ouro batido, nas duas extremidades da tampa, um de um lado, outro de outro, de maneira que faziam corpo com as duas extremidades da tampa. Esses querubins, com as faces voltadas um para o outro, tinham as asas estendidas para o alto, e protegiam com elas a tampa para a qual tinham as faces inclinadas.”

  • Números 21, 8-9:

“E o Senhor disse a Moisés: “Faze para ti uma serpente ardente e mete-a sobre um poste. Todo o que for mordido, olhando para ela, será salvo.”

A serpente que Deus pediu que Moisés confeccionasse.

A serpente que Deus pediu que Moisés confeccionasse.

  • 1 Reis 6, 23-29:

“Fez no santuário dois querubins de pau de oliveira, que tinham dez côvados de altura. Cada uma das asas dos querubins tinha cinco côvados, o que fazia dez côvados da extremidade de uma asa à extremidade da outra. O segundo querubim tinha também dez côvados; os dois tinham a mesma forma e as mesmas dimensões. Um e outro tinham dez côvados de altura. Salomão pô-los no fundo do templo, no santuário. Tinham as asas estendidas, de sorte que uma asa do primeiro tocava uma das paredes e uma asa do segundo tocava a outra parede, enquanto as outras duas asas se encontravam no meio do santuário. Revestiu também de ouro os querubins. Mandou esculpir em relevo em todas as paredes da casa, ao redor, no santuário como no templo, querubins, palmas e flores abertas.”

  • 1 Reis 7, 25-29:

“Este apoiava-se sobre doze bois, dos quais três olhavam para o norte, três para o ocidente, três para o sul e três para o oriente. O mar repousava sobre eles, e suas ancas estavam para o lado de dentro. A espessura do mar era de um palmo; sua borda assemelhava-se à de um copo em forma de lírio; sua capacidade era de dois mil batos. Fez também duas bases de bronze, tendo cada uma quatro côvados de comprimento, quatro de largura e três de altura. Eis como eram feitas essas bases: eram formadas de painéis e enquadradas de molduras. Nos painéis enquadrados de molduras, havia leões, bois e querubins, assim como nas travessas igualmente. Por cima e por baixo dos leões e dos bois pendiam grinaldas em forma de festões.”

  • 1 Reis 8,7:

“Pois os querubins estendiam as suas asas sobre o lugar da arca, e cobriam por cima a arca e os seus varais.”

  • 1 Crônicas 28, 18-19:

“Do altar dos perfumes, em ouro fino, com o peso; o modelo do carro, dos querubins de ouro que estendem suas asas para cobrir a arca da aliança do Senhor. Tudo isso, disse Davi, todos os modelos destas obras, foi o Senhor quem me ensinou por um escrito de sua mão.”

A permissão de Deus para confecção de imagens que não tirem Seu lugar de grandeza e soberania não se resume a essas passagens, pois além de outras, existe a mais grandiosa e extensa de todas elas: Deus não hesitou ao fazer-se imagem para nós, e essa imagem foi e continua sendo Jesus Cristo, o Verbo Divino feito Homem.

E vale lembrar que a Sagrada Tradição nos conta que, desde os primórdios da catolicidade, já era costume entre os primeiros cristãos criar imagens de mártires e colocá-las junto de seus túmulos, assim como a arqueologia nos mostra belíssimas imagens e mosaicos dos Santos Apóstolos, da Santíssima Virgem, e do próprio Jesus.

A essência de nosso ensinamento, com tudo isso, foi rejeitar por completo todo tipo de idolatria, como por exemplo o amor ao dinheiro, sexo, bens materiais e quaisquer outras coisas que nos impeçam de louvar a Deus com todo o nosso fervor e entendimento.

Templo de Salomão - à direita o denominado "Mar", tanque d'água carregado ao lombo de doze touros.

Templo de Salomão – à direita o denominado “Mar”, tanque d’água carregado ao lombo de doze touros.

Anúncios
Categorias: Doutrina | Tags: , , , , , , , , | Deixe um comentário

Navegação de Posts

Comente, elogie, critique, discuta!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: